Geddel vira réu em mais quatro ações. MP pede ressarcimento de recursos que ultrapassam R$ 3 bilhões.

Compartilhar:

O ex-ministro Geddel Vieira Lima virou réu em mais quatro ações penais por fraudes na Caixa Econômica Federal, no âmbito da Operação Cui Bono, que investiga concessão de crédito em troca de propina, por meio do FI-FGTS.

Além do ex-ministro, preso na penitenciária da Papuda desde setembro de 2017, segundo a coluna Satélite, do jornal Correio, outras 17 pessoas viraram réus nas ações. Entre eles, estão o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, também preso, o ex-ministro Henrique Eduardo Alves, o operador financeiro Lúcio Bolonha Funaro e o ex-vice-presidente da Caixa Fábio Cleto.

O Ministério Público Federal, que é o autor das denúncias pediu para que os réus paguem de multa e façam ressarcimento de recursos que ultrapassam R$ 3 bilhões. 

O juiz concedeu aos acusados dez dias para que apresentem resposta. Além disso, ele pede que a Polícia Federal apresente, em 15 dias, relatório dos bens apreendidos ao longo da investigação.

 

Compartilhar:

Aviso:

Os Comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Catu Notícias.

É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros.

Comentários postados que não respeitem os critérios, poderão ser removidos sem prévia notificação.

Deixe seu Comentário