Professores municipais decidem manter greve; paralisação já dura quase um mês

Compartilhar:

Na tarde dessa última segunda-feira (06), professores municipais de Salvador votaram em assembleia pela continuação da greve – que já dura cerca de 27 dias. A votação ocorreu no Ginásio dos Bancários, na Ladeira dos Aflitos. Segundo a categoria a greve se perpetua em reivindicação ao reajuste salarial de 6,5%, além também de outras condições.

Conforme Marcos Barreto, integrante da direção executiva do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), os professores voltam a se reunir em mais uma assembleia para discutir o rumo das negociações, na quinta-feira (9), na quadra do Sindicato dos Bancários.

Os docentes pediam reajuste salarial de 12,41% e reduziram a proposta para 6,5%. Em contrapartida, a Secretaria Municipal de Educação (Smed) ofereceu 2,5%, que não é aceitável pela categoria.

Além do reajuste salarial, os professores também pedem 10% no auxílio-alimentação e eleição do diretor escolar – em vez de indicação da secretaria.

Edição: Catu Notícias

Compartilhar:

Aviso:

Os Comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Catu Notícias.

É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros.

Comentários postados que não respeitem os critérios, poderão ser removidos sem prévia notificação.

Deixe seu Comentário