Alagoinhas: Prefeitura acompanha treinamento de voluntários com aves de rapina para devolução à natureza

Compartilhar:

Durante a manhã desta última segunda-feira (19), a Secretaria Municipal de Comunicação (SECOM) acompanhou o treinamento realizado por André de Paula, falcoeiro e pelo biólogo Fernando Lima. Os profissionais são voluntários que resgatam aves danificadas para tratamento, treinamento e devolução à natureza pós-recuperação. A dupla esteve reunida com o secretário de desenvolvimento econômico e meio ambiente José Edésio na semana anterior para apresentação de um projeto para construção de um criadouro de aves de rapina.

De acordo com os responsáveis a intenção é resgatar os animais machucados para oferecer tratamento de recuperação e treinamento adequado, possibilitando o retorno da ave ao seu habitat natural de maneira segura. Os recintos construídos servirão de abrigo para aquelas que pós-avaliação com veterinário forem identificadas como inaptas para o retorno à natureza. “Estas aves devem ficar no recinto sob nossos cuidados até que sejam encaminhadas ao CETASS ou ao Zoológico de Salvador que são nossos parceiros”, explica André de Paula.

Em 10 anos de trabalho voluntário André já recebeu diversas aves em sua própria casa, “eu disponibilizo meu tempo para isso por amor, sempre que alguém encontra uma ave encaminha para mim, eu prontamente faço um documento de recebimento e em seguida procuro a SEDEA [Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente] e depois vou ao Inema [Instituto Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos], daí trado os animais feridos, ofereço alimentação adequada até quando estão totalmente recuperados e aptos para voltar à natureza”, explica o falcoeiro.

Nesta manhã o falcoeiro realizou um treinamento simples para fortalecimento da musculatura das aves, dando condicionamento físico para seu retorno ao habitat natural. No treinamento os animais são submetidos a experiências de voos curtos supervisionados pelos profissionais e treinamento de caça, para que não sejam facilmente predados quando regressarem. Foram feitas simulações com pedaços de carnes envoltos em ratos de brinquedo ou objetos que simulam outras aves semelhantes às predadas pelas espécies em treinamento. Os profissionais manusearam um gavião Asa de Telha, conhecido cientificamente como Agelaioides badius e um falcão Quiquiri, conhecido cientificamente como Falco sparverius.

O secretário da SEDEA, após reunião, mostrou-se animado com o trabalho realizado por André e Fernando e deve analisar o projeto apresentado pelo falcoeiro e seu parceiro biólogo. “Preservar a natureza é mais do que uma obrigação nossa, portanto deixar de apoiar um projeto como esse é negar nossa razão de ser, na posição de secretaria de meio ambiente. Com certeza iremos analisar o projeto e vamos encontrar alguma forma de colaborar ou apoiar”, afirma José Edésio.

Fonte: SECOM

Compartilhar:
    • Fernando Lima
    • 23 de março de 2018
    Responder

    O criadouro que estamos tentando implantar em Alagoinhas é de extrema importância em relação a preservação das espécies de aves de rapina da região, entretanto precisamos de apoio do munícipio e de outras instituições voltadas para a preservação do meio ambiente. Nossa missão só terá sentido se o poder publico e o privado nos ajudarem na construção deste centro de conservação de avifauna.

Aviso:

Os Comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Catu Notícias.

É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros.

Comentários postados que não respeitem os critérios, poderão ser removidos sem prévia notificação.

Deixe seu Comentário