TJ-BA anula edital que convocava nova eleição para juiz eleitora da advocacia

Compartilhar:

O presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), desembargador Lourival Trindade, anulou o edital que convocava uma nova eleição para escolha de dois nomes para compor a lista tríplice de juiz eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA). A vaga é destinada a candidatos oriundos da advocacia. A publicação não apresenta justificativa para a anulação da convocação.

A medida teria sido adotada pelo TJ-BA após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) barrar dois nomes eleitos por nepotismo (saiba mais). A lista era formada pelos advogados Carlos Magnavita, filho da desembargadora Ivone Bessa; Rui Barata, filho da desembargadora Ligia Ramos; e por Fabiano Mota, mantido na lista como candidato. A lista foi formada em dezembro de 2018. Os candidatos impugnados chegaram a recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para manter a candidatura, mas o pedido foi negado.

 Fontes consultadas pelo BN destacam que o TJ-BA não precisaria fazer nova eleição para compor a lista tríplice, podendo ter convocado os demais nomes da lista, como Vicente Buratto, 4º mais votado, e Luiz Coutinho, 6º mais votado na ocasião. O 5º candidato mais votado, Henrique Trindade, já foi nomeado e empossado para vaga de juiz eleitoral efetivo pela advocacia.

Compartilhar:

Aviso:

Os Comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Catu Notícias.

É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ou direitos de terceiros.

Comentários postados que não respeitem os critérios, poderão ser removidos sem prévia notificação.

Deixe seu Comentário